Internacionalização acelera com apoio da Explorer Investments

15 Jul 2022
Partilhar
Facebook LinkedIn Twitter

Tecnológica liderada por Miguel Salgueiro foi ao mercado e captou o interesse da gestora de fundos. As duas empresas celebraram esta quarta-feira um contrato no valor de cinco milhões de euros.

A NextBITT, uma tecnológica portuguesa especializada na gestão de ativos físicos (edifícios e todos os equipamentos neles instalados) tem em curso uma estratégia para internacionalizar a operação em cinco anos. Essa estratégia vai, agora, acelerar com o apoio da Explorer Investments, uma gestora de private equity.

Ao Dinheiro Vivo, o founder partner e chief business officer da NextBITT, Miguel Salgueiro, conta que a empresa captou o interesse de um fundo da Explorer na sequência de uma ronda de investimento no valor de cinco milhões de euros. Ainda falta concluir a transação para o investimento na tecnológica se concretizar, mas foi já esta quarta-feira "celebrado um contrato entre a Explorer e a NextBITT no valor de cinco milhões de euros", de acordo com António Rocha e Silva, sócio da gestora de private equity. Em causa não está uma aquisição da NextBITT pela Explorer, mas sim uma futura operação de investimento no desenvolvimento do negócio da tecnológica.

Para Miguel Salgueiro, o acordo alcançado "visa uma uma aposta clara em tecnologia para a sustentabilidade".

 

Sobre a NextBITT

Criada em 2015, a portuguesa NextBITT atua nas áreas de asset management, facility management, field service, Internet das Coisas (IoT) e sustentabilidade. As três primeiros representam as áreas de foco da empresa, enquanto os temas IoT e sustentabilidade são uma consequência do potencial da plataforma de gestão desenvolvida pela NextBITT, fruto também da digitalização da gestão de ativos físicos. A plataforma digital da tecnológica permite uma gestão profissional de ativos físicos de outras empresas. Essa gestão tem o potencial de otimizar processos, controlar custos e, por último, aumentar ganhos de produtividade e melhores resultados ao diminuir a pegada de carbono (na gestão de um edifício, por exemplo), seguindo critérios ambientais (vulgo, ESG), de acordo com Miguel Salgueiro.

 

Uma aposta na internalização

A aposta da Explorer na ideia de negócio da NextBITT dá duas certezas à tecnológica: permite novas condições para internacionalizar aoperação e aumentar recursos humanos.

 

"Vai permitir-nos, de uma forma mais acelerada, a internacionalização da empresa. Nos primeiros cinco anos, temos como objetivo estar presentes em quatro ou cinco geografias da comunidade europeia", revela o cofundador da NextBITT. "Espanha será uma delas claramente, mas estamos a ver outras geografias", acrescenta.

"Além disso, também vamos contratar 60 pessoas nos próximos 12 meses", disse. A tecnológica portuguesa conta hoje com cerca de 40 trabalhadores. Em março, previa superar o patamar dos 50 quadros até ao final de 2022.

 

Tecnologia de referência internacional

O "objetivo principal" é tornar a tecnológica numa "referência internacional, algo que "esta junção com o fundo da Explorer Investments vai acelerar". A par da internacionalização, também o "crescimento e inovação" da empresa deverão evoluir, de acordo com Miguel Salgueiro.

Do lado da Explorer Investments, António Rocha e Silva, sócio responsável pela área de capital de expansão, explica que o interesse na NextBITT surgiu, por um lado, porque o foco da sustentabilidade no negócio da tecnológica "está completamente alinhado com os princípios da Explorer". Por outro, por a NextBITT ser "uma referência no setor com clientes de grande dimensão". Entre os clientes da NextBITT estão empresas cotadas no principal índice bolsista português (PSI).

 

"Por outro lado, o grande objetivo que a NextBitt tem de começar a desenvolver outro negócio relacionado com a sustentabilidade, uma temática que está em voga e preocupa todas as empresas [também despertou interesse]. Achamos que o posicionamento atual vai permitir um crescimento bastante promissor nesta área do ESG", adiantou o sócio da Explorer.

Rocha e Silva acrescenta, ainda, que a evolução da empresa é "interessante", numa altura em que "todas as empresas estão preocupadas em implementar metodologias para a sustentabilidade". Ora, "a NextBITT apresenta uma solução de gestão de ativos que está muito bem posicionada para implementar esse módulo".

O que vai, então, a Explorer fazer? "Apoiar e dar suporte na tomada de decisão", tendo em conta que isso pode ser "uma mais-valia" para o futuro da tecnológica, considerando a "experiência em internacionalização e M&A [fusões e aquisições] com outras empresas".

 

A operação entre a NextBITT e a Explorer Investments não vai retirar autonomia na gestão do negócio aos sócios fundadores da tecnológica - Miguel Salgueiro, Pedro Morais e André Calixto -,"que mantêm as mesmas funções e a maioria do capital", de acordo com Miguel Salgueiro.

Fonte: Dinheiro Vivo 


Aqui pode encontrar mais notícias sobre a NextBITT ou descubra como o podemos ajudar.

Notícias Relacionadas

28 Set 2022
Aposta na transformação ambiental das organizações em Portugal

No final do ano passado, a União Europeia decretou que as org

23 Set 2022
NextBITT prevê contratar 60 pessoas nos próximos 12 meses

A estratégia para a aceleração de crescimento da companhia te

07 Set 2022
O Sistema de Gestão Ambiental no futuro dos negócios

Ao abrigo da legislação publicada na Comunidade Europeia, as organizações, são, agora, obrigadas

21 Jul 2022
Parceria NextBITT com a Explorer Investments

A tecnológica NextBITT quer ser uma referência internacional.

Usamos cookies em nosso site para oferecer suporte a recursos técnicos que melhoram a experiência do utilizador.

Também usamos serviços de análise e publicidade. Para cancelar, clique para obter mais informações.